fbpx
Docker Desktop pago? Agora é o fim! Só pode! Será mesmo?
Publicado em: domingo, 5 de set de 2021
Categorias: Docker de A a Z

Toda notícia ao redor da Docker Inc gera um transtorno absurdo. A equipe de comunicação e marketing está de parabéns! Com uma gestão imagem que beira o nulo. Na vez passada o não suporte ao dockershim, pela equipe do Kubernetes, respingou sobre a Docker como se o Kubernetes perdesse suporte à containers, ou como se esse ecosssitema fosse frágil o suficiente para uma possível morte da Docker significar alguma coisa. Agora a novidade é a notícia do Docker Desktop pago!

Está na hora de entendermos o que tudo isso significa.

TL;DR;

Docker Desktop deixa de ser gratuito e passa a ser pago. Docker Engine continua Open Source, e demais ferramentas não sofrem mudança.

O Docker Desktop agora faz parte do modelo único de subscrição da Docker Inc, que inclui o Docker Hub. Novas camadas e uma restruturação nas ofertas foram necessárias.

Empresas até 250 funcionários e 10 milhões de dólares em faturamento anual, não são impactados e para esses o Docker Desktop continua gratuito.

Licenças começam em 5 dólares/mês.

Embora vigência comece imediatamente, foi criado um período de carência até o fim de Janeiro de 2022.

Continuando…

A verdade é que o mercado é composto em sua maioria por uma galera que não entende bulhufas das tecnologias que usa diariamente. Não sabe o que roda, como faz, pra que serve, mal sabem executar scripts prontos, e não conectam os pontos ainda. São levados e conduzidos pela tecnologia, ao invés de usá-la de fato.

Todo indivíduo que entrou em pânico com a notícia de que o “Kubernetes não dará suporte à Docker” não compreende 2 centímetros sobre esse universo. Conhece alguém? Bom… pois é!

E agora quem fica achando que é o fim do Docker com a notícia do Docker Desktop ter um plano de produto: Bingo! Também está dando mole.

Bora entender essa bagaça.

Docker

Sabe quando alguém chama refrigerante de Coca-Cola, sem de fato se referir à bebida Coca-Cola, ou chama lâmina de barbear/barbeador descartável de Gillette? Pois é… quando queremos falar containers, é comum nos referirmos à Docker. Os mais preocupados com as expressões usam termos como Containers Docker. Os mais relapsos falam que vão Criar um Docker ou até Criar um Dockers.

Para quem escreve/diz esse último, eu tenho certeza, há um lugar na eternidade ao lado do professor Pasquale!!!

Fui fazer minha pesquisa, para saber se ele estava vivo e descobri que sem querer matei o Professor Pasquale.

O que é o Docker?

Docker é um produto da Docker Inc.

Docker é uma CLI que se comunica com um DOCKERD, seu backend.

Essa separação entre CLI e Backend, ou melhor, CLI e DEAMON, é o que viabiliza a utilização da CLI no teu windows e as operações com containers serem executadas no Linux.

Graças a esse desenho você também pode usar seu docker desktop para gerenciar containers em hosts na internet, mas também no linux você pode gerenciar containers remotos.

Docker cresceu muito quando criou standards, e da costela do DOCKERD nasceu seu runtime de containers, o CONTAINERD. Sim, Containerd carregou consigo parte do código que um dia foi da baseline do dockerd, se já foi todo reescrito depois? Não sei. Daí pra frente é história. O importante é entender a natureza e de conde cada coisa veio.

Outro ponto importante é lembrar que Containerd é um dos runtimes compatíveis com o Kubernetes, inclusive ainda é padrão em muitos cloud providers. Portanto, essa coisa de Kubernetes não dar suporte ao Docker, só gera tumulto para quem não faz ideia desses movimentos.

Quais movimentos dão segurança ao mercado?

Criação do CONTAINERD

ContainerD é um runtime de containers. É ele quem executa de fato os containers.

Fizemos algumas palestras no passado sobre os diferentes recursos do containerd, como ele foi projetado e alguns dos problemas que corrigimos ao longo do caminho. Containerd é usado pelo Docker, Kubernetes  CRI e alguns outros projetos, mas esta é uma postagem para pessoas que podem não saber o que o containerd realmente faz dentro dessas plataformas. Eu gostaria de fazer mais postagens sobre o conjunto de recursos e design do containerd no futuro, mas por agora, começaremos com o básico.

Acho que o ecossistema de contêineres pode ser confuso às vezes. Principalmente com a terminologia que usamos. O que é isso? Um tempo de execução. E isto? Um runtime … containerd como o nome indica, não contém nerd como alguns gostariam de me enganar, é um daemon de container. Ele foi originalmente construído como um ponto de integração para tempos de execução OCI como runc, mas nos últimos seis meses ele adicionou muitas funcionalidades para se adequar às necessidades de plataformas de contêiner modernas, como Docker e Kubernetes.

Open Container Initiative

O que chamamos corriqueiramente de Containers Docker, na verdade são containers Open Container Initiative, ou OCI. Um standard que assegura um tipo de características que no final das contas é o que vemos no docker. Podman, por exemplo é uma alternativa deamonless ao docker.

O que quero dizer é que quando o Kubernetes roda um container em seus POD’s, dizemos que são containers docker, mas o correto e adequado é dizer que roda containers OCI.

Os papel dos standards

Os standards asseguram que as mudanças no mundo como conhecemos hoje não sejam drásticas nem abruptas. Eles asseguram os interesses de muitos players ao invés de estar debaixo de uma só marca.

Por exemplo, olha os membros do OCI:

Qualquer grave mudança no “Docker” poderia influenciar diretamente em todos esses players, mas agora com um standard, eles dormem tranquilos.

Essa é a real função dos standards, criar um padrão que seja independente dos interesses e conflitos comerciais, que seja de fato autônomo.

ContainerD implementa o OCI Runtime, uma subspec para runtime de containers. E isso faz dele runtime obrigatório por baixo do Docker e eventualmente runtime de containers para o Kubernetes. Sendo no Kubernetes uma opção entre vários disponíveis, como CRI-O, por exemplo.

Docker Inc: Um negócio economicamente inviável

Se você entende o mínimo de cloud e ao mesmo tempo tem um Container Instance privado em qualquer lugar da internet, sabe que estamos diante de algo que, nas proporções do Docker Hub, custa muito, mas muito caro. Nem de longe estou dizendo que ter um container registry custa caro, o que estou falando é que para ter esses milhões de imagens, sim, custa. É a natureza de ser um hub centralizador que faz do Docker Hub um passivo enorme em termos financeiros. Mas ainda assim é vital para o ecossistema ao redor do produto.

2 aspectos precisam ser ressaltados: Armazenamento e Tráfego.

Quando a Docker Inc vendeu o produto Docker Enterprise, para a Mirantis, a empresa notificou a comunidade via seu blog explicando os próximos passos e as mudanças no modelo de negócio, agora com foco maior no ferramental para desenvolvedores. Ela se posicionou como ferramenta para suporte ao desenvolvimento. Nesse aspecto temos como novidade recente os Dev Environments.

A mudança no modelo de licenciamento do Docker Desktop foi absurdamente abrupta. Sem uma notificação prévia. Do dia para a noite o Docker Desktop passou a ser pago. Essa forma negligente de lidar com uma mudança dessas produz um efeito negativo e gera um “imposto” a ser pago com a própria depreciação da marca. Esses movimentos abruptos geram insegurança em toda a comunidade. Hoje é o Docker Desktop, e amanhã? Será o Docker Engine também? Parece que não, mas… essa é a insegurança.

De qualquer forma estava claro que alguma coisa precisava mudar. Ainda não acredito que a Docker Inc produza ROI positivo apenas com o Docker Hub. Principalmente com os valores praticados na plataforma. E sinceramente ainda não vi uma boa adoção do programa Docker Verified Publisher. Ao mesmo tempo as ofertas de Container Registry de todos os grandes cloud providers colocam o valor percebido pelo produto em cheque, afinal ainda teríamos tráfego como desafio financeiro, diferente da maioria dos cloud providers que não cobram pelo tráfego interno ou possuem cotas atraentes.

Minhas análises podem estar completamente distorcidas, sim, com toda certeza podem, o tempo dirá.

Mas o que de fato mudou?

Hoje a definição que encontramos sobre a mudança na estratégia da Docker Inc para o Docker Desktop é bem simples. O docker desktop passa a fazer parte dos pacotes Pro, Team e Business somente para empresas com mais de 250 funcionários ou 10 milhões de dólares em faturamento anual.

Aqui está um resumo das principais mudanças:

  • Nosso contrato de serviço de assinatura do Docker inclui uma mudança nos termos de uso do Docker Desktop
    • Ele permanece gratuito para pequenas empresas (menos de 250 funcionários E menos de US $ 10 milhões em receita), uso pessoal, educação e projetos de código aberto não comerciais.
    • Requer uma assinatura paga para uso profissional em empresas maiores.
  • A data efetiva desses termos é 31 de agosto de 2021. Há um período de carência até 31 de janeiro de 2022 para aqueles que exigem uma assinatura paga para usar o Docker Desktop.
  • A assinatura Docker Free existente foi renomeada como Docker Personal e introduzimos uma assinatura Docker Business.
  • As assinaturas Docker Pro, Team e Business incluem o uso comercial do Docker Desktop.

A embalagem é mais importante que o conteúdo

Aqui novamente vemos um cenário em que a forma é mais importante que o conteúdo.

A forma como essa mudança foi feita é mais relevante, mais impactante e até mais destrutiva que a própria mudança em si.

O teor, é relativamente light, principalmente porque esses planos são baratos. Estamos falando de 1300 reais por ano, por dev, levando em conta o plano Business. Na maioria dos casos veremos o plano Team, com míseros ~R$ 435 por ano, por dev.

Como disse no início desse post, o plano de comunicação da Docker Inc é uma negação. Eles conseguiram transformar uma coisa boba, que aparentemente foi bem planejada, com um período de carência bem legal, mas fizeram de uma forma que impactou todo o mercado.

O que podemos esperar para o futuro?

Em março/2021 foi concluída a série B de investimento na companhia, nessa rodada foram 23 milhões de dólares, totalizando 58 milhões de investimento captado. Desde então o co-fundador e sócio da empresa investidora faz parte board como diretor na Docker inc. Podemos ver essas mudanças como significativas.

No passado já ouvimos rumores sobre uma possível compra da Docker Inc pela Microsoft. Levando em conta essa rodada de capital de risco, e o tempo que leva para isso se concretizar, acredito que é possível que essa ideia possa ter sido ventilada ou pela Microsoft ou até mesmo oferecida pela direção da Docker Inc na época.

De qualquer forma é importante entender os movimentos do mercado para prever o impacto em nossas carreiras. Faz todo sentido olharmos para a Docker Inc com algum receio, mas o que chamamos de Docker é muito maior do que a empresa Docker Inc, é maior do que ela já fez, vem de muito mais longe, com muito mais empenho e não há substituto hoje.

Não me admira se em 5 anos ou até mais a Microsoft comprar e empresa.

O Docker (containers docker) não vão sair do mercado, nem nos próximos 5 nem nos próximos 10 anos. É um caminho sem volta. O jogo de poder pode trocar de mãos, mas uma vez que você viu e experimentou, não é possível mais viver sem aquilo. Esse é o caso dos containers. E isso é graças à Docker Inc que produtificou LXC e evoluiu toda essa jornada.

Luiz Carlos Faria

Mensagem do Autor

Espero que goste desse post. Não deixe de comentar e falar o que achou. 

Se acha que esse post pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe!

 

Categorias

Assine

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Lives

Fique de olho nas lives

Fique de olho nas lives no meu canal do Youtube, no Canal .NET e nos Grupos do Facebook e Instagram.

Aceleradores

Existem diversas formas de viabilizar o suporte ao teu projeto. Seja com os treinamentos, consultoria, mentorias em grupo.